Corinthians avassalador no Allianz Parque garante vaga na Final do Brasileirão Feminino

foto: Cesar Catalano

Corinthians goleia Palmeiras por 4 a 0 no Allianz Parque e garante vaga na Final do Campeonato Brasileiro Feminino

Por Nicholas Zaponi Paulin

O Palmeiras chegou para o jogo no Allianz Parque atrás do placar, pois havia perdido o primeiro jogo por 2 a 1 da equipe Corintiana, além disso a equipe alviverde optou por trocar a dupla de zaga nesta partida que contou com Julia Bianchi e Day Silva.

Já o Timão que tinha uma vantagem confortável no placar foi com a equipe completa para este confronto e não livrou para o lado palmeirense que se frustrou com um pênalti marcado aos oito minutos do primeiro tempo com o auxilio do VAR que foi bem batido pela meio campista Adriana.

Após o primeiro gol a equipe palmeirense sentiu muito o gol levado e fez um jogo muito abaixo do esperado. O segundo gol da equipe alvinegra foi aos 44 do segundo tempo e foi marcado pela meio campista Gabi Portilho. A equipe alviverde foi para o intervalo tendo que reverter um placar de 4 a 1 no agregado, o que começou a preocupar os onze mil torcedores presentes no Allianz Parque.

Pênalti marcado a favor do Corinthians logo no inicio da partida (foto: Cesar Catalano)

No segundo tempo a historia não foi muito diferente, as alvinegras comandaram a segunda etapa e deram um show de futebol, logo aos cinco minutos do segundo tempo saiu o terceiro gol do Corinthians com a atacante Jhennifer e depois disso a partida passou a ficar cada vez mais no controle da equipe corintiana, que já estava com a classificação encaminhada para a final do campeonato Brasileiro Feminino.

Apesar do show da equipe visitante, o que surpreendeu foi o publico presente no Allianz Parque, 11.450 torcedores estavam no estádio, o que foi mais um recorde batido pela equipe alviverde, o maior publico em um jogo de futebol feminino no Allianz Parque.

Torcida organizada Mancha Verde presente no estádio (foto: Cesar Catalano)

Agora o Corinthians aguarda o seu próximo adversário que será definido no dia 12 de setembro, em um jogo muito disputado entre São Paulo e Internacional no Morumbi com um placar agregado de 1 a 1. O adversário que enfrentar o Corinthians na final decidirá o campeonato fora de casa pelo time alvinegro ter feito a melhor campanha.

Éverton Ribeiro iguala recorde e está apenas a um jogo de se tornar o jogador do Flamengo com mais partidas em Libertadores

Em jogo contra o Corinthians Éverton Ribeiro igualou o recorde de Júnior de mais partidas pelo clube em Copa Libertadores, e está a uma partida de se isolar na lista

No dia 9 de agosto o Flamengo enfrentou o Corinthians em partida valida pelas quartas de final da Libertadores 2022. O jogo marcou a classificação rubro-negra após uma vitória de 1×0 sobre o time paulista, mas além disso também foi palco da 47ª vez que Éverton Ribeiro entrou em campo pelos cariocas na Copa Libertadores. Fato que o coloca junto a lenda flamenguista Júnior, como o atleta com mais partidas pelo clube na competição.

Confira o tweet abaixo com a lista de jogadores com mais jogos pelo Flamengo na Copa Libertadores:

Um breve resumo da trajetória de Éverton pelo Flamengo até aqui

Éverton Ribeiro chegou ao Flamengo em junho de 2017 por 6 milhões de euros, valor que o fez a contratação mais cara do time para o ano. Cercado de expectativas, que tinham como base seus ótimos anos no Cruzeiro, o meia, assim como todo time carioca, desapontou. O ano ficou marcado pelos vices campeonatos da Copa do Brasil e Sul-Americana, além da irregularidade no campeonato brasileiro.

Em 2018, sua primeira temporada inteira no clube, ficou marcado por momentos como os 2 gols contra o Emelec, que garantiram a classificação flamenguista as oitavas da Libertadores, e o belo gol feito contra o Cruzeiro, eleito o mais bonito da edição do Brasileirão no ano em questão. Contudo, novamente espelhando o desempenho do time, não conseguiu manter um bom nível durante o ano todo.

Com a chegada do técnico Jorge Jesus em 2019, Éverton viveu provavelmente seu melhor momento com a camisa do Flamengo. Foi seu ano com mais assistências e participações em gols no time. Desempenhou papel fundamental em um elenco encantador, vitorioso e que se consagrou como um dos times mais emblemáticos da história recente do futebol nacional.

Entre 2020 e 2021 o time rubro-negro viu diversos treinadores ocuparem sua área técnica após a saída de Jesus. Foram momentos de extrema instabilidade tanto do time quanto de Éverton. Pois, apesar da conquista do brasileirão 2020 e da competitividade oferecida pelo elenco, o plantel não conseguiu convencer o suficiente dentro de campo. Com Domènec, Ceni e Renato Gaúcho o camisa 7 flamenguista colecionou atuações brilhantes, que o renderam convocações a seleção, e partidas muito abaixo do esperado.

Sob o comando Paulo Sousa, o roteiro de 2022 parecia ser pior que o dos anos anteriores. Dessa vez o time se encontrava estável, regularmente performando atuações catastróficas em campo. A chegada do técnico Dorival Jr marcou uma mudança no panorama. O coletivo começou a performar em alto nível regularmente depois de muito tempo, tendo em Éverton Ribeiro um dos principais responsáveis por essa mudança. A articulação que o atleta traz ao ataque tem sido importante para o Flamengo estar, por enquanto, fazendo frente nas três principais competições que disputa.

Jogo contra o Vélez e eminente isolamento na lista

O Flamengo ira enfrentar o time argentino do Vélez nos dias 31/08 e 07/09 em partidas validas pela semifinal da Copa Libertadores. E, se tudo ocorrer como previsto, Éverton Ribeiro vai iniciar os dois jogos como titular, se tonando assim o jogador do clube com mais jogos na Libertadores, com 49 partidas jogadas.

O meia rubro-negro é certamente um dos maiores e mais importantes ídolos recentes da história flamenguista, e a quebra da marca em questão só autentica sua importância.

Confira os números de Éverton Ribeiro em cada edição de Libertadores jogando pelo Flamengo segundo o transfermarket:

2018: 7 jogos, 2 gols e 1 assistência

2019: 12 jogos, 3 gols e 3 assistências

2020: 6 jogos, 2 gols e 2 assistências

2021: 13 jogos, 0 gols e 3 assistências

2022: 9 jogos, 3 gols e 0 assistências

Vinícius Junior e Benzema: a melhor dupla do futebol mundial ?

Desde o início da temporada 21/22 a dupla Vinícius Junior e Karim Benzema combinaram para 19 assistências entre si

No dia 10 de agosto o Real Madrid enfrentou o time do Frankfurt em jogo válido pela Super Copa da UEFA, a qual é decidida entre o campeão da Champions League (Real Madrid) e Europa League (Frankfurt). O jogo em questão terminou em 2×0 para o time espanhol, se consagrando campeão da competição pela quinta vez. O segundo gol da partida, determinante para a conquista espanhola, foi marcado por Benzema e assistido por Vinícius Junior. O passe a gol dado na final da supercopa europeia foi a 11ª assistência direcionada a ao francês por parte do brasileiro dentre as 17 assistências feitas pelo jovem desde o início da temporada 2021/22 (cerca de 65% delas ).

Após a saída de Cristiano Ronaldo na temporada 18/19 Benzema adquiriu holofotes os quais nunca tinha experienciado. Com a saída do ídolo português, seu protagonismo e números de participação em gols aumentaram vertiginosamente, o colocando como um dos melhores centroavantes do mundo. Nas últimas 4 temporadas jogou 193 jogos e marcou 141 gols, se consolidando como o segundo maior artilheiro da história do time de Madrid e igualando o recorde de mais tentos marcados em um mata-mata de Champions League. O salto dado pelo futebol do francês foi tão amplo que o atleta hoje é dado como o principal favorito a ganhar os prêmio de melhor jogador do ano de 2022.

Também na temporada em que Cristiano deixou o Real, Vinícius Junior chegou ao clube. O atacante brasileiro viveu até 2021 momentos de intensa instabilidade no plantel. Visto que ao mesmo tempo que houve momentos de intenso brilho pelo brasileiro e prestígio por parte mídia, houve também períodos em que o jovem não performava o esperado e sofria severas críticas da imprensa. Assim, uma oscilação que é normal de acontecer com jovens ganhou uma magnitude desproporcional, muito pelo valor de 45 milhões de euros investidos e sua contratação quando o atleta ainda tinha 16 anos. A chegada do técnico Carlo Ancelotti para temporada 21/22 mudou o panorama geral, marcando a explosão de Vinícius para o mundo. Com o o novo comandante o ponta melhorou muito sua tomada de decisão e finalização, atributos que antes eram deficientes, fazendo com que o brasileiro ganhasse o posto de titular importante no elenco.

A ascensão de Benzema como um dos melhores jogadores do mundo e a súbita melhora de desempenho de Vinícius culminaram na formação de umas das duplas mais letais do futebol atual. Juntos foram peças fundamentais nas campanhas vitoriosas do Real na Champions e na La Liga, sendo decisivos nos dois torneios. O brilho do esplendor se encontra na associação entre os dois enquanto estão em campo. Pois, além das já mencionadas assistências que o brasileiro direcionou a Benzema desde agosto de 2021, o atacante francês deu passe para 8 dos 22 tentos marcados por Vinicius no mesmo período

A La Liga já começou e os madrilenhos já estrearam com uma vitoria por 2×1 contra o Almería. Apesar de nenhum dos atacantes terem participado dos gols da partida, o novo ano do futebol europeu promete muitas alegrias vindas da dupla Benzema e Vinícius Junior para os torcedores merengues.

Quem são os técnicos com mais títulos na história do futebol

O técnico com mais títulos na história do futebol é Sir Alex Ferguson, mas você sabe quem são os outros treinadores que fazem parte dessa lista?

1° Sir Alex Ferguson

         A primeira posição não é surpresa para ninguém. O lendário treinador escocês que fez história no comando do Manchester United, clube que treinou por 27 anos, conquistou, ao longo de sua carreira, incríveis 49 taças. A maioria de suas conquistas, 38 delas, foi enquanto dirigia o Manchester United, onde conquistou a UEFA Champions League 2 vezes e 13 títulos da Premier League. 

2° Mircea Lucescu         

O técnico romeno Mircea Lucescu fez história no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. Foto: FRANCK FIFE/AFP via Getty Images

O Romeno, que atualmente dirige o Dínamo de Kiev, já venceu 35 títulos ao longo de sua carreira. A maioria deles no futebol ucraniano à frente do Shakhtar Donetsk, colecionando 9 conquistas do Campeonato Ucraniano e 7 Copas da Ucrânia, além de 8 Supertaças da Ucrânia. Seu currículo ainda conta com uma conquista da Europa League, pelo Shakhtar Donetsk, e dois Campeonatos Turcos com o Besitkas. 

3°Pep Guardiola

Pep Guardiola já ganhou quatro vezes a Premier League pelo Manchester City. Foto: Michael Regan/Getty Images

            O espanhol possui a carreira mais curta da lista, mas isso não impediu Pep Guardiola de conquistar 32 títulos em 14 anos como treinador. No comando do Barcelona, Pep, venceu 2 UEFA Champions League e 3 campeonatos espanhóis. Na Alemanha, treinando o Bayern de Munique, conquistou 3 vezes o campeonato alemão e agora à frente do Manchester City já venceu 4 vezes a Premier League. Guardiola ainda venceu 3 vezes o Mundial de Clubes e 5 Copas nacionais.  

4° Valeriy Lobanovskyi

O técnico ucrianiano Valeri Lobanovsky fez história pelo Dinamo Kiev. Foto: Gary M Prior/Allsport

            O quarto nome da lista é do ucraniano Valeriy Lobanovskyi que venceu 29 títulos durante sua carreira como treinador do Dínamo de Kiev. Alguns desses títulos ainda enquanto a Ucrânia fazia parte da União Soviética. Lobanovskyi conquistou 8 vezes o Campeonato Soviético e 5 vezes o Campeonato Ucraniano (após o fim da União Soviética). O ucraniano ainda levantou duas vezes o troféu da Europa League, 6 vezes a Taça Soviética (ou Copa da União Soviética) e 3 Taças da Ucrânia.

5° José Mourinho

O técnico português José Mourinho foi campeão da Conference Cup pela Roma em 2022. Foto: OZAN KOSE/AFP via Getty Images

            Os próximos três nomes dessa lista estão empatados em números de títulos na carreira com 26 cada. O primeiro é o português José Mourinho que colecionou troféus em diversos países e em quase todos os times que treinou (Mourinho só não foi campeão pelo Tottenham). Pelo Porto ele conquistou a UEFA Champions League, a Europa League e dois campeonatos portugueses. No Chelsea três vezes a Premier League. Na Inter de Milão a UEFA Champions League e dois campeonatos italianos. No Real Madrid o campeonato espanhol e a Copa do Rey. No Manchester United venceu a Europa League e pela Roma a Conference League, além de outros títulos.

6° Jock Stein

            O segundo treinador empatado com 26 títulos é o nome mais antigo dessa lista, Jock Stein é uma lenda do Celtic onde conquistou 25 dos 26 troféus. Venceu 10 vezes o Campeonato Escocês, 9 taças da Escócia, 6 taças da Liga escocesa e principalmente uma UEFA Champions League, a única da história do clube, todas durante a década de 60 e 70.  

7° Luiz Felipe Scolari

Felipão foi o último técnico campeão da Copa do Mundo pela Seleção Brasileira. Foto: AFP via Getty Images

            O terceiro treinador com 26 títulos é também o único brasileiro da lista e o único que foi campeão do mundo. Felipão é ídolo do Palmeiras e do Grêmio onde conquistou a Libertadores, a Copa do Brasil e o campeonato brasileiro pelos dois times, além de vários títulos no futebol Chinês. Mas as principais conquistas da carreira do treinador brasileiro foram com a seleção brasileira, onde venceu a Copa das Confederações e a Copa do Mundo em 2002.

8°Carlo Ancelotti

            O treinador do Real Madrid é o penúltimo nome da lista, com 25 títulos conquistados. O italiano é o maior vencedor da UEFA Champions League com 4 conquistas, duas pelo Milan e duas pelo Real Madrid. O técnico também venceu a Premier League pelo Chelsea, a Bundesliga pelo Bayern de Munique, o Campeonato Francês pelo PSG e o Campeonato Espanhol pelo Real Madrid. Ancelotti também tem dois Mundiais de clubes e três Copas nacionais.

9° Ottmar Hitzfeld

            O último nome é o alemão Ottmar Hitzfeld que conquistou 25 títulos ao longo de sua carreira. Além de conquistas no futebol suíço, Hitzfeld venceu taças pelos rivais Bayern de Munique e Borussia Dortmund. Foi campeão de duas UEFA Champions League (uma por cada clube), 7 vezes a Bundesliga (duas pelo Borussia e cinco pelo Bayern), 3 Copas da Alemanha (todas pelo Bayern) e o Mundial pelo Bayern de Munique.  

Corinthians leva vantagem sobre o Palmeiras em Itaquera

Eliminado da Libertadores na última terça, o alvinegro recebe o time de Abel Ferreira para seguir com chances de título no Brasileirão

Corinthians e Palmeiras vão se enfrentar pela 22ª rodada do Brasileirão e fazem o Derby neste sábado (13), na Neo Química Arena. Líder do campeonato com 45 pontos, o Palmeiras vem embalado pela classificação para a semifinal da Libertadores. Já o Corinthians, vice-líder do Brasileirão, com 39 pontos, tenta se recuperar e diminuir a vantagem para o rival e seguir com chances de título na competição.

Invicto neste Brasileirão de 2022, o Corinthians não perde como mandante na Série A, aliás, desde a 14ª rodada de 2021, somando 22 jogos sem derrota. Já o Palmeiras, que não foi derrotado como visitante, já acumula 12 jogos de invencibilidade no Campeonato Brasileiro desde 20221.

Na Neo Química Arena, desde sua inauguração, em 2014, Corinthians e Palmeiras se enfrentaram 17 vezes, com 7 vitórias do Corinthians, 4 empates e 5 vitórias do Palmeiras, que é o clube com mais venceu em Itaquera ao lado do Flamengo.

Neste sábado, dia 13 de agosto, teremos o 374º confronto entre Corinthians e Palmeiras. Até aqui, foram 132 vitórias do Palmeiras, 129 do Corinthians e 112 empates.

Veja todos os confrontos entre Corinthians e Palmeiras em Itaquera

27/08/2014 – Corinthians 2 x 0 Palmeiras – Brasileirão
19/04/2015 – Corinthians 2 x 2 Palmeiras – Paulistão
31/05/2015 – Corinthians 0 x 2 Palmeiras – Brasileirão
17/09/2016 – Corinthians 0 x 2 Palmeiras – Brasileirão
22/02/2017 – Corinthians 1 x 0 Palmeiras – Paulistão
05/11/2017 – Corinthians 3 x 2 Palmeiras – Brasileirão
24/02/2018 – Corinthians 2 x 0 Palmeiras – Paulistão
31/03/2018 – Corinthians 0 x 1 Palmeiras – Paulistão
13/05/2018 – Corinthians 1 x 0 Palmeiras – Brasileirão
04/08/2019 – Corinthians 1 x 1 Palmeiras – Brasileirão
22/07/2020 – Corinthians 1 x 0 Palmeiras – Paulistão
05/08/2020 – Corinthians 0 x 0 Palmeiras – Paulistão
10/09/2020 – Corinthians 0 x 2 Palmeiras – Brasileirão
03/03/2021 – Corinthians 2 x 2 Palmeiras – Paulistão
16/05/2021 – Corinthians 0 x 2 Palmeiras – Paulistão
25/09/2021 – Corinthians 2 x 1 Palmeiras – Brasileirão

Liga Francesa, a liga da dinastia, que agora é do PSG

Os clubes franceses que mais conquistaram títulos do campeonato nacional e as eras de maior destaque

O Campeonato Francês, atualmente nomeado de Ligue 1, foi fundado em 1930, 92 anos atrás. Desde então, foram disputadas 83 edições da competição, somando a desta temporada. Devido ao fato de a França ser um dos centros de conflitos na segunda guerra mundial, o campeonato francês ficou paralisado da temporada 1938-39 a 1945-46. Isso explica a grande diferença do número de edições sediadas para o de anos desde a criação.

O torneio é classificado em diversas eras, nas quais times poderosos estabeleceram uma dinastia na competição, assim como aconteceu nos últimos tempos com o PSG, que foi campeão do campeonato francês em oito de dez oportunidades, desde quando voltou a conquistar um título da competição, em 2012-13, 19 anos após a última vez, na ocasião.

A primeira marca de hegemonia do futebol francês aconteceu entre 1948 e 1961, período qual o Stade Reims e o Nice ganharam dez de 14 edições disputadas, sendo quatro por parte do Nice e seis pelo Stade Reims, que naquela altura era o maior campeão da competição.

Após essa época, o Saint-Étienne passou a reinar em território francês, visto que, entre 1963 e 1976, em 13 temporadas, conquistou oito taças do torneio, tornando-se, assim, o maior campeão, com nove títulos, já que havia sido campeão também na temporada 1956-57. Mais tarde, em 1981, o clube foi campeão novamente e alcançou a marca de dez títulos, recorde até hoje, porém agora empatado com o PSG.

De 1988 a 1993, somente o Olympique de Marselha foi campeão da liga e colecionou cinco taças, entretanto um título foi retirado devido a um esquema de resultados envolvendo um jogador do clube. Como punição do escândalo de corrupção, os atuais campões do campeonato nacional e da Champions League foram rebaixados e permaneceram na segunda divisão por duas temporadas.

No início dos anos 2000, foi a vez do Lyon se sobressair diante dos adversários. Os Les Gones emplacaram todos os seus sete títulos de forma consecutiva, dominando a década de 2000 no país.

Em 2011, o PSG, que já possuía duas conquistas, foi adquirido por um fundo de investimentos do Catar, tornando-se a equipe mais poderosa do país, principalmente quando o assunto é dinheiro para contratações de jogadores. A partir de 2012, a dinastia parisiense se iniciou, com o clube conquistando oito títulos em dez temporadas. Dessa maneira, o PSG alcançou o Saint-Étinne e chegou à marca de dez vezes campeão da Ligue 1, sendo assim o maior campeão da competição.

Confira, portanto, o ranking com os maiores campeões do campeonato francês:

TítulosClubes
10PSG e Saint-Étienne
9Olympique de Marselha
8Monaco e Nantes
7Lyon
6Bordeaux e Reims
4Nice e Lille
2Sète e Sochaux
1Montpelier, Lens, Auxerre, Strasbourg, Roubaix-Tourcoing, Racing Paris e Olympique Lillois

As 10 maiores contratações da La liga na temporada 2022/23

Times qualificados se reforçando, contratações bombásticas e jogadores promissores formam a interessante janela de transferências da La Liga

Para quem olha a La Liga, mas não a enxerga, pode parecer que o torneio se trata de um campeonato estritamente monopolizado. O olhar superficial sobre os últimos campeões da competição dá a impressão que somente Real Madrid, Barcelona e de vez em quando um Atlético de Madrid são detentores de elencos competitivos, os quais dominam quase de forma avassaladora a Espanha. Contudo, para o espectador que observa mais de perto, a liga espanhola se mostra fascinante e competitiva nos âmbitos técnicos e táticos.

A afirmação de que o campeonato não possui apelo competitivo poderia ser levado em conta no período do final dos anos 2000 e início dos anos 2010, em que Real Madrid e Barcelona se revezaram na conquista da La Liga durante nove anos. Porém, nesse intervalo de tempo os motivos para acompanhar a competição se encontravam nos aspectos táticos. Pois foi na Espanha em que o modelo de jogo “Tiki Taka” foi concebido. Característico pela posse de bola e passe curtos, esse estilo de jogo encantou o mundo quando foi incorporado em dois times históricos que mudaram o jogo, o Barcelona de Guardiola e a Espanha de Vicente Del Bosque. Um é considerado um dos melhores times da história, o outro uma das melhores seleções da história e ambos ditaram como o futebol começou a ser jogador nos anos 2010 e serviram de base para o jogo de transição e pressão jogado atualmente. Deste modo, pode-se dizer que até mesmo em seus períodos menos competitivos a La Liga tinha maneiras de encantar os espectadores.

Apesar de que nos últimos anos nenhum novo padrão tático revolucionário tenha surgido na Espanha, alguns times com competir em alto nível apareceram. Além dos já conhecidos Real Madrid de Zidane e Ancelotti, Barcelona de Luís Henrique e Xavi e do Atlético de Madrid comandado pela figura característica de Simeone, elencos capazes de fazer frente nacional e até mesmo internacional foram montados. Nos últimos anos o Sevilla exerceu uma dominância nunca antes vista na Europa League, com um elenco montado na base de scouting de jogadores menos badalados. O Villarreal, comandado por Unai Emery, conquistou a Europa League e chegou às semifinais da Champions League. Equipes como Real Betis e Real Sociedad vem se classificando para competições europeias menores e chegando em fases finais na Copa del Rey. Fora o Getafe o qual conseguiu um inesperado quinto lugar há alguns anos, o Bilbao, que a partir de sua filosofia de montagem de plantel, corriqueiramente consegue fazer frente aos gigantes e o Valencia que apesar de estar performando abaixo recentemente já deu as caras na parte de cima da tabela em ocasiões recentes.

Além de todos os aspectos já mencionados, a La Liga 22/23 conta com muitas contratações de peso. O Real Madrid, atual campeão da Europa, reforça seu elenco já competitivo e o Barcelona, após algumas temporadas com elencos menos competitivos e financeiramente operando no vermelho, faz uma das maiores janelas de transferências de sua história. Ademais, times como Atlético, Sevilla e Real Sociedad fazem contrataçẽos pontuais e menos badaladas com o intuito de fazer frente pelos títulos nacionais. 

Dessa maneira, para que se fique inteirado sobre as contratações da La Liga, desde as  bombásticas até as menos baladas, mas que podem dar o que falar, foram separadas as 10 maiores contratações da La Liga feitas nessa janela. Cada uma delas contém o valor da transferência e os números da última temporada de cada contratado, segundo o site Transfermarkt, além de um breve resumo sobre cada um.

As 10 maiores contratações da La Liga temporada 2022/23

10º- Borja Mayoral (Getafe)

Após 7 anos tendo seu passe ligado ao Real Madrid, mas nunca atuando regularmente pelo clube, o espanhol Borja Mayoral foi negociado em definitivo ao Getafe. No clube madrilenho desde 2007 o atacante sempre foi tratado como uma promessa. Foi promovido aos profissionais em 2015  e apesar de ter participado de campanhas de vitoriosas de títulos, nunca obteve uma boa sequência de jogos, sendo emprestado diversas vezes. Passou por Wolfsburg, Roma, Levante e o próprio Getafe. Pode-se destacar seus empréstimos na Itália, por onde jogou uma temporada e meia e foi artilheiro da Europa League 20/21, e no Getafe, onde passou a segunda metade da temporada 21/22 e jogou o suficiente para o clube pagar 10 milhões de euros por seu passe.

Com 39 anos de existência, idade considerada jovem para um clube de futebol, o Getafe já vem há alguns anos ganhando destaque na elite espanhola. Após ser promovido novamente a primeira divisão em 2017 os Azulones conseguiram por três temporadas seguidas figurar na parte de cima da tabela, chegando até mesmo a conseguir uma classificação histórica para Europa League na temporada 18/19. Embora o time do centro da Espanha tenha se mantido na elite do campeonato, uma queda em seu rendimento se sucedeu, o que o fez lutar contra o rebaixamento nos últimos dois anos. A contratação de Mayoral representa o plano do clube de tentar acabar com as brigas contra o descenso e se estabelecer novamente nas posições superiores na La Liga.

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 29
Gols: 7
Assistências: 2

09º- Willian José (Real Betis)

No ano de 1997 o Real Betis ganhou destaque internacional quando protagonizou a transferência mais cara do futebol mundial na época, pagando 32,5 milhões de euros por Denilson. O elenco era forte, e títulos eram prometidos, porém não foi assim que se decorreu. Pois, apesar de uma conquista de uma Copa del Rey e uma classificação para a Champions League, nem o Denilson e nem o elenco conseguiram performar o esperado, chegando ao ponto em que o clube foi rebaixado à segunda divisão. Após a saída do brasileiro e o desmanchamento do time, o Bétis se viu em uma condição de clube “ioiô”, frequentemente descendo e subindo de divisão. O panorama começou a mudar na temporada 17/18 com a construção de seu novo estádio, o quarto maior da Espanha, e com as contratações de jogadores como Fekir, William Carvalho e Lo Celso, o quais ajudaram o Betis a se tornar competitivo novamente, se classificando para competições europeias e ganhando a Copa del Rey de 2022.

O atacante brasileiro Willian José se profissionalizou no Grêmio Barueri, e de lá saiu logo cedo para o Deportivo Maldonado. Sem nunca ter jogado ao menos um jogo no clube uruguaio, o centroavante teve seu passe emprestado a uma imensa quantidade de clubes, entre eles pode-se citar Grêmio, São Paulo, Las Palmas e até mesmo Real Madrid. Sua passagem mais memorável foi na Real Sociedad, por onde atuou por 6 anos e obteve destaque na La Liga. Após uma passagem apagada no Wolverhampton o brasileiro voltou para Espanha, dessa vez para o Real Betis. Sua boa temporada atuando pelo clube da cidade de Sevilha, ajudando o time a conquistar a Copa del Rey, foi o suficiente para os verdiblancos o contratarem em definitivo por 10 milhões de euros. 

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 44
Gols: 11
Assistências: 5

08º- Mohamed-Ali Cho (Real Sociedad)

Uma temporada depois de chegar aos profissionais do clube francês Angers, o atacante Mohamed-Ali Cho, ainda adolescente, alcançou a titularidade do time na temporada 21/22. O centroavante francês, considerado uma promessa desde jovem, passou por categorias de base de grandes times como PSG e Everton. Chegou no Angers em 2020 e no mesmo ano fez sua estreia no elenco principal. Com 18 anos, por conta conseguir atuar com regularidade em meio a profissionais em uma idade jovial, atraiu o interesse da Real Sociedad, que pagou 11 milhões de euros por seu passe.

A contratação do centroavante francês se encaixa na direção de montagem de elenco empregada pelos Los Txuri-urdin, feita a partir do desenvolvimento de jovens jogadores. Jogadores que recentemente conquistaram destaque na La Liga como Oiarzabal, Mikel Merino, Januzaj, Alexander Isak e Zubeldia foram ou comprados muito jovens ou formados na base do clube espanhol. Bicampeão nacional no início dos anos 80 a Real Sociedad vinha de muitos anos frequentando a parte de baixo da tabela, além de ter enfrentado um jejum de títulos importantes de mais de 20 anos. A seca de títulos foi quebrada pela conquista da Copa del Rey em 2020 e o time do país basco vem constantemente aparecendo na metade de cima da competição, tudo isso com um plantel formado em grande parte pelos jovens atletas já mencionados. A contratação de Mohamed-Ali Cho é uma jovem aposta feita por uma diretoria que, como se sabe, já acertou em outras contratações desse tipo, e que, se der certo, renderá bons frutos para o clube do norte da Espanha.

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 32
Gols: 4
Assistências: 1

07º- Marcão (Sevilha)

A contratação do zagueiro brasileiro Marcão pelo Sevilla por 12 milhões de euros exemplifica perfeitamente a abordagem de mercado do time espanhol dos últimos anos. O clube ganhou notoriedade mundial na última década ao ganhar 4 vezes a Europa League em 7 anos, tendo como principal “cabeça” de seu sucesso o diretor de futebol Monchi. O executivo implantou no clube uma política de compras a qual levou a montagem de elencos vencedores. A metodologia consiste basicamente na contratação de jovens talentos e jogadores sem muitos holofotes por um preço abaixo. Assim os jogadores se desenvolvem no clube, ajudam o time a ganhar troféus e depois são vendidos por um preço muito maior do que o gasto em sua compra 

O defensor brasileiro foi formado no Atlético Paranaense e pouco jogou no elenco do Paraná. Acumulou empréstimos por diversos times tanto do Brasil quanto de Portugal até ser contratado em definitivo pelo Galatasaray em 2019 graças às suas atuações na Liga Portuguesa. Aos 26 anos, o defensor certamente não foi contratado pelos blanquirrojos por conta de seu potencial de desenvolvimento, mas sim por seus três últimos anos apresentando um bom futebol na Turquia. Chega como parte da reformulação do sistema defensivo de sua equipe, que em uma janela perdeu em Koundé e Diogo Carlos seus dois zagueiros titulares.

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 38
Gols: 1
Assistências: 0

06º- Brais Méndez (Real Sociedad)

Por 14 milhões de euros o ponta direita Brais Méndez se tornou a contratação mais cara da Real Sociedad na janela e a terceira maior de toda sua história. O espanhol de 25 anos ganhou notoriedade no Celta de Vigo, clube o qual o formou, por suas boas atuações naos últimos anos. Dentre os profissionais do clube da Galiza desde 2017, o atleta já vem há três temporadas sendo um dos principais destaques no plantel. Umas das principais referências técnicas de seu time, polivalente e com experiência na La Liga, a contratação se mostra oportuna tanto para Méndez, o qual tinha futebol o suficiente para jogar em algum time que tenha maiores pretensões, e para Real Sociedad, que perdeu dois de seus principais jogadores de ataque nesta janela.

O time basco vem performando roteiros bem parecidos nos últimos anos no campeonato espanhol. Começa bem a competição, mas acaba caindo de produção, não conquistando a vaga para a Champions League, e deixando um gosto de que era possível ter feito mais. Classificada para a Europa League e carente no ataque graças às vendas de Portu e Januzaj, a Real Sociedad parece ter achado em Méndez alguém que possa contribuir para que seu elenco consiga manter uma regularidade ao longo da temporada.

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 40
Gols: 5
Assistências: 6

05º- Nahuel Molina (Atlético de Madrid)

O cenário que se desenha é o seguinte: o clube se consagra campeão nacional e para nova tem como principal reforço a repatriação de um de seus maiores ídolos recentes. A lógica é pensar que o time em questão atinja um melhor desempenho, se não ao menos o mantenha, contudo o futebol não é lógico, e o caso do Atlético de Madrid é um perfeito exemplo disso. Após conquistar a La Liga 20/21 os Colchoneros se reforçaram com de Paul, Mateus Cunha e Griezmann para a temporada 21/22, prometendo um time ainda mais qualificado do que o já campeão. Porém, quando a as competições de iniciaram, o cenário foi totalmente diferente do esperado. Apesar da classificação às quartas da Champions League, pode se classificar a temporada do Atlético como decepcionante. Seu sistema defensivo, o que em anos anteriores foi sua principal virtude, apresentou muitos defeitos ao longo das competições, o que acarretou em um desempenho muito irregular por parte do clube durante a temporada. A contratação do lateral direito Nahuel Molina por 20 milhões de euros, a maior do time de Madrid na janela, pode até se mostrar modesta quando comparada às compras dos últimos anos, mas promete ser capaz de preencher uma lacuna que já vem atordoando o elenco do Atlético há algum tempo.

Nahuel é cria das categorias de base do Boca Juniors, time pelo qual teve seu passe ligado por quatro anos, tempo esse em que pouco jogou pela equipe de Buenos Aires. Foram em seus empréstimos a outros clubes onde o argentino entrou em campo regularmente e se desenvolveu. Após retornar ao Boca vindo de uma boa passagem no Rosário Central, foi negociado em definitivo para a Udinese. Apesar de sua passagem na Itália não ter sido acompanhada por boas campanhas do time de Udine, foi nela que o lateral ganhou notoriedade. Suas atuações o renderam convocações constantes para sua seleção e os olhares de times maiores. Ainda jovem, aos 24 anos, o lateral direito tem a capacidade de ocupar por um bom tempo a posição que se mostrou um problema para o Atlético de Madrid recentemente, pois nos últimos anos nem Trippier e nem Vrsaljko conseguiram tomar conta da função.

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 37
Gols: 8
Assistências: 5

04º- Robert Lewandowski (Barcelona)

Multicampeão pelo Bayern De Munique, oito vezes artilheiro da Bundesliga, duas vezes chuteira de ouro e duas vezes eleito o melhor do mundo pela FIFA, Robert Lewandowski certamente é um dos maiores jogadores da geração. Após oito anos atuando pelo time alemão, o polonês protagonizou uma das maiores transferências da janela de verão europeu ao ir para o Barcelona. O centroavante chega ao clube blaugrana como parte de um grande pacote de reforços contratados pelos Culés, o qual apesar de toda as polêmicos acerca da proveniência do dinheiro gasto nas compras pelo clube, é inegavelmente um grupo de reforços de extrema qualidade e capazes de fazer o time do Barcelona brigar por títulos.

Após ver na saída de Messi a perda de sem dúvidas o maior jogador de sua história, o time da Catalunha viu também a perda não só de uma referência técnica, mas de alguém que pudesse liderar o time em campo e ser o foco central de todo um plano de jogo. Sem esse tipo de atleta, o Barcelona enfrentou na temporada 21/22 um dos seus períodos mais irregulares de sua história recente. Até a chegada do atual técnico Xavi, ex-jogador e ídolo culé, em novembro de 2021, o time Espanhol vinha fazendo uma temporada desastrosa, sendo eliminado na fase de grupos da Champions League e estando muito longe das primeiras posições da La Liga. Após a chegada do comandante e a implantação de seu estilo de jogo, pode-se ver um crescimento vertiginoso tanto no desempenho quanto nos resultados do elenco nas competições. Pois, apesar da eliminação na Europa League e a queda nas oitavas de final na Copa del Rey, time atingiu uma marca de 15 jogos sem perder na liga espanhola, terminando a competição na vice-colocação, além de ter visto jogadores que eram dados como descartáveis, como Dembélé, atingirem um ótimo nível em seu jogo.  As projeções do time para a temporada 22/23 já eram boas, mas com a chegada dos reforços, principalmente de Lewandowski, as expectativas para o desempenho blaugrana são altíssimas.

Com o fim da temporada de 2022, o centroavante polonês entrou em seu último ano de contrato com o Bayern de Munique. Em situações assim é comum que, por conta de sua identificação com o clube, o contrato seja renovado, a não ser que exista a vontade do atleta de sair, e foi exatamente isso que aconteceu, pois como foi dito por Robert: “Minha história no Bayern acabou.”. Porém, mesmo antes da janela começar, ao que tudo indica, Lewandowski já tinha traçado seu destino. Nas palavras do jogador: “Quando o Barcelona bateu na porta desta vez, já era a única opção para mim. Houve outras ofertas, mas não me interessei”. E assim foi criada a maior novela dessa janela de transferências. Entre declarações públicas de dirigentes do Bayern, Barcelona e do próprio jogador sobre sua saída ou permanência, foi criado um clima de desavença entre as partes. No fim o clube Alemão considerou não ser vantajoso ter alguém contra sua vontade em seu plantel e acabou o negociando por 45 milhões de euros ao time espanhol, terminando assim de forma melancólica e turbulenta tuma passagem tão vitoriosa e bonita como a do atacante no Bayern. Lewandowski chega como o “algúem” que o Barcelona perdeu na saída de Messi e, se atuar como atuou na Alemanha, certamente obterá sucesso em sua tarefa.

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 46
Gols: 50
Assistências: 7

03º- Jules Koundé (Barcelona)

O zagueiro Jules Koundé chega ao Barcelona como parte do objetivo de resolver um problema que prejudica há anos o time catalão, seu sistema defensivo. O zagueiro francês chegou no Sevilla em 2019, dois anos após ter chegado ao time principal do Bordeaux, como parte do programa de captação de jovens promissores do time espanhol. Logo em sua primeira temporada na Espanha assumiu a titularidade do plantel e foi peça fundamental para a conquista da Europa League. As temporadas se seguiram e o futebol de Koundé continuou em crescimento, se consagrado como um dos melhores zagueiros da La Liga e entrando para o time ideal da competição da temporada 20/21.

Aos 23 anos, o francês vinha de algumas janelas em que já fora disputado, mas foi nesse verão europeu que a disputa por seu passe se acirrou. Chelsea e Barcelona duelaram por sua compra. O time inglês já tinha um acordo com o Sevilla e a contratação do defensor estava quase encaminhada, contudo ao saber do interesse dos blaugranas em seu futebol, o zagueiro travou as negociações com os blues para que o clube espanhol dispusesse do tempo necessário para entrar em acordo por sua compra. No final do drama a estratégia do atleta funcionou e o Barcelona o contratou por 50 milhões de euros. Ágil, atlético e técnico, Jules é o zagueiro moderno que todo clube procura. Já familiarizado com o campeonato espanhol, o jovem defensor tem a qualidade necessária para ajudar a solucionar os problemas defensivos dos Culés.

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 43
Gols: 3
Assistências: 1

02º- Raphinha (Barcelona)

Fez sua temporada mais goleadora na Inglaterra, foi o herói da permanência de seu time na primeira divisão e conquistou o status de ter sua convocação para a Copa do Mundo quase que confirmada, pode-se dizer que a temporada 21/22 mais importante da carreira do brasileiro Raphinha até agora. A relevância ganha pelo ponta por conta de suas atuações foram o suficiente para que o interesse de diversos times fosse atraído. Chega ao Barcelona em uma situação parecida com a de Koundé, pois assim como o zagueiro, teve sua contratação disputada pelo Chelsea e os Culés e também deixou os blues esperando com o intuito de assinar com o clube espanhol. A novela acabou com a contratação do brasileiro por 70 milhões de euros, a compra mais cara de uma janela blaugrana extremamente estrelada.

Ao contrário do que acontece com muitos jogadores brasileiros, que já nas categorias de base ganham destaque mundo afora e são prospectados por gigantes europeus desde jovens, Raphinha não saiu do Brasil badalado. Após ser integrado no elenco do Avaí, mas não chegar a jogar sequer um jogo, o brasileiro foi vendido em 2016 para o Vitória de Guimarães por 600 mil euros. A caminhada do ponta na Europa não foi meteórica, pelo contrário, o prestígio que o brasileiro ganhou foi construído temporada por temporada por conta de seu desempenho. Em sua terceira temporada no time de Guimarẽs já era o principal atleta de seu elenco e um dos goleadores da liga, o que o rendeu uma transferência ao Sporting. Um ano em Lisboa foram o suficiente para que o francês Stade Rennes o comprasse, assim como um ano na França foi o suficiente para que o jogador se transferisse para o time do Leeds, o qual buscava reforçar seu plantel para disputar a Premier League após muitos anos sem jogar a competição. Graças a sua versatilidade, capacidade de drible e qualidade no passe, tornou- se um dos pilares do clube de Yorkshire. Durante a temporada 21/22 seu time brigou ferrenhamente contra o rebaixamento e foi graças às suas atuações que seu clube conseguiu se manter na elite. Raphinha chega na Espanha para compor um ataque catalão extremamente qualificado, o qual conta com Lewandowski, Ferran Torres, Aubameyang e Dembélé. E baseado no que já foi apresentado, tem capacidade para encantar por muitos anos os torcedores Culés

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 36
Gols: 11
Assistências: 3

01º- Aurélien Tchouaméni (Real Madrid)

A trinca de meio campo do time do Real Madrid formada por Toni Kroos, Casimiro e Luka Modric é inegavelmente uma das maiores da história recente do futebol. Juntos desempenharam um papel fundamental na recente dominância que os merengues exerceram na Liga dos Campeões, ganhando quatro títulos da competição em um espaço de sete anos, sendo três deles ganhos de forma consecutiva. Contudo, nem toda a capacidade técnica, tática e física do mundo conseguem ser páreas para uma coisa, o tempo, e em Madrid não é diferente. 

Apesar do trio ter exercido uma excelente função na recente conquista madridista da Champions League, especialmente Modric, o mais velho deles, alguns sinais do desgaste do grupo já vem sendo colocados à vista. Algumas lesões e substituições em jogos de caráter mais intenso mostram que podemos estar presenciando a fase final de um dos meio campos mais icônicos do futebol, e aparentemente o time do Real Madrid parece estar bem ciente disso. A crescente importância que Federico Valverde e Eduardo Camavinga vem ganhando no elenco espanhol, sendo muito importantes nas fases finais da última Champions, mostra a preocupação merengue com a reformulação do setor de meio campo do plantel. Os 80 milhões de euros pagos no volante francês Aurélien Tchouaméni, que o fizeram a contratação mais cara da janela espanhola, são mais um dos fortes indícios de que o Real se prepara para uma eventual dissolução de seu meio campo titular.

Tchouaméni foi um dos principais destaques do time do Mônaco na última temporada. Sua combatividade, qualidade no passe e seu controle de bola foram essenciais para que a equipe do principado conquistasse a terceira colocação da Ligue 1, fazendo com que o meio campista ganhasse reconhecimento como um dos principais volantes do campeonato francês logo em seu segundo tano nos Monegasques. Chegou no Mônaco em 2020 vindo do Bordeaux, time pelo qual se profissionalizou e onde adquiriu a fama de grande promessa ainda base. Aos 22 anos, o francês até o momento parece estar fazendo jus a todas as expectativas em cima dele depositadas desde sua juventude, pois chega no que é provavelmente o maior time do mundo com a confiança da diretoria de que tem a qualidade necessária para fazer parte de um meio campo madridista reformulado, o qual tem o potencial, assim como seu antecessor, para dominar a Europa por muitos anos.

Números na temporada (2021/22):

Jogos: 50
Gols: 3
Assistências: 3

Conheça os brasileiros que disputarão o Campeonato Francês 2022/23

A Ligue 1 contará com 20 brasileiros, com destaque para Neymar e Marquinhos, no PSG, e Lucas Paquetá, no Lyon

A última sexta-feira (5), foi marcada pelo início da competição mais disputada da França. Grandes jogos marcaram a primeira rodada, como a goleada do Olympique de Marseille sobre o Stade de Reims e a vitória apertada do Lens, por 3-2, contra o Stade Brestois. Porém o que mais chamou a atenção foi a estreia do Paris Saint-Germain contra o Clermont Foot. O time dos astros abriu o placar cedo, antes dos 10 minutos, Neymar já havia marcado um tento. Além do gol, o craque brasileiro presenteou três companheiros com assistências, sendo eles, o também brasileiro, Marquinhos, Hakimi e Messi.

Ano após ano, atletas brasileiros vão ganhando destaque na França, se consolidando como ótimos jogadores. Na temporada passada, os que mais se destacaram foram, os jovens atletas do Lyon, Lucas Paquetá e Bruno Guimarães. A dupla surpreendeu tanto a mídia, que foram separados logo na janela de transferências do verão europeu. Na ocasião, Bruno foi transferido para o time inglês, Newcastle. Já o Paquetá, se manteve no clube francês e contribuiu com 9 gols e 6 assistências.

Lucas Paquetá durante uma partida da Europa League. (Photo by Anthony Bibard/FEP/Icon Sport via Getty Images) – Photo by Icon sport

Logo na primeira rodada da temporada atual, já vai se criando um ótimo clima para os jogadores nascidos no Brasil. Os que mais chamaram atenção dos jornais franceses foram Neymar, PSG, e Tetê, Lyon. O camisa 10 da seleção, já vinha demonstrando que estaria pronto para exibir ótimas atuações. Ainda uma semana antes dos treinamentos do clube voltarem, já se via o craque realizando ações nas instalações do CT. Quando questionado sobre o motivo, o atacante respondeu dizendo estar com a mentalidade focada na Copa do Mundo, que será disputada no Catar, no fim deste ano.

Já o meio-campista Tetê, de 20 anos, se tornou assunto em diversos jornais locais pelo fato de ter marcado o primeiro gol da edição do torneio. Revelado pelo Grêmio, o jovem teve uma grande participação enquanto estava emprestado, pelo Shakhtar Donetsk, ao Lyon e vinha sido sondado pelo tricolor gaúcho e até poderia chegar a atuar pelo clube na série B do Campeonato Brasileiro. Porém tudo saiu diferente do planejamento, o Lyon, clube que o contratou, exigiu apresentação imediata do brasileiro à equipe. Decisão aparentemente correta, pois Tetê comandou a vitória de seu time.

Nos últimos anos, brasileiros vêm dominando campeonatos europeus. Nessa temporada da Ligue 1 teremos 21 jogadores desta nacionalidade dispostos a defenderem suas equipes. A lista é formada por:

  • Auxerre: Jubal
  • Clermont: Neto Borges
  • Lille: Alexsandro, Ismaily e Léo Jardim
  • Lorient: Igor Silva
  • Lyon: Henrique, Tetê, Lucas Paquetá e Thiago Mendes
  • Monaco: Jean Lucas, Caio Henrique e Vanderson
  • Nantes: Fábio e Andrei Girotto
  • Nice: Dante
  • Olympique de Marselha: Gerson
  • PSG: Neymar e Marquinhos
  • Toulouse: Rafael Ratão

Lewandowski, Messi ou Cristiano Ronaldo? Quem é o maior artilheiro da atualidade?

A disputa pela Chuteira de Ouro, nome do prêmio entregue ao artilheiro do ano, vem se acirrando muito nas últimas temporadas. Tais nomes como o de Karim Benzema e Robert Lewandowski vêm ganhando espaço no meio futebolístico, muito por conta do alto índice de gols marcados por temporada.

Na temporada 2021/22, o atacante francês foi o destaque do Real Madrid, marcando 44 gols em 46 jogos. Já o polonês, balançou as redes em 50 oportunidades, na mesma quantidade de jogos de seu atual rival. Mas será que mesmo com essas temporadas brilhantes, os centroavantes possuem boa colocação no ranking de artilheiros da atualidade?

A resposta, claramente, é positiva, ambos se encontram em colocações muito boas no ranking de artilheiros que ainda atuam. Porém fica até chato de competir em um mundo que existem Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, os dois possuem um número de gols muito fora da curva, sendo, respectivamente, o primeiro e o segundo colocado da lista. Confira outros jogadores marcantes que compõem a artilharia atual:

1-Cristiano Ronaldo: 815 gols em 1125 jogos

2-Lionel Messi: 772  gols em 976 jogos

3-Robert Lewandowski: 601 gols em 839 jogos

4-Zlatan Ibrahimovic: 572 gols em 983 jogos

5-Luis Suárez: 522 gols em 862 jogos

6-Edinson Cavani: 430 gols em 778 jogos

7-Karim Benzema: 407 gols em 851 jogos

8-Neymar: 418 gols em 676 jogos

(Números em jogos oficiais)

De Bruyne é o líder em assistências entre os jogadores ativos da Premier League

O belga Kevin De Bruyne, em seu primeiro jogo na temporada 22/23 da Premier League, ultrapassa James Milner e vira o maior assistente da Premier League em atividade

Nessa primeira sexta-feira (5) do mês de agosto, a Premier League retornou para a temporada europeia 2022/23. Essa será a 30ª edição do campeonato mais disputado do velho continente, que completa 30 anos nesse ano de 2022.

Kevin De Bruyne, que no primeiro jogo Manchester City da temporada efetuou uma assistência para o primeiro gol com bola rolando do estreante Haaland, completou 87 assistências em jogos válidos pelo Campeonato Inglês, assim, passando o James Milner que, antes da partida, estava empatado com o belga.

Para atingir a marca de 100 assistências na competição esse ano, De Bruyne precisa de mais 13 assistências (o máximo em sua carreira foi 20 passes para gol na temporada 2019/20).

Os 10 maiores assistentes da história da Premier League:
1º – Ryan Giggs (Manchester United): 162
2º – Cesc Fàbregas (Arsenal e Chelsea): 111
3º – Wayne Rooney (Everton e Manchester United): 103
4º – Frank Lampard (West Ham e Chelsea): 102
5º – Dennis Bergkamp (Arsenal): 94
6º – David Silva (Manchester City): 93
7º – Steven Gerrard (Liverpool): 92
8º – Kevin De Bruyne (Chelsea e Manchester City): 87
9º – James Milner (Leeds United, Newcastle United, Aston Villa, Manchester City e Liverpool): 86
10º – David Beckham (Manchester United): 80

De Bruyne e James Milner são os únicos que permanecem em atividade. Por conta dos poucos minutos nas últimas temporadas, com uma idade mais avançada e com contrato renovado recentemente, a probabilidade do inglês de chegar nas 100 assistência são baixas.

Com a chegada de Erling Haaland nos Blues, o belga terá uma opção nova de ataque para receber passes, aumentando a probabilidade do jogador de dar passes para gol. Kevin De Bruyne mostrou que sabe jogar a Premier League, com quatro títulos da competição e três vezes sendo o líder de assistência, o jogador terá chance de conquistar grandes objetivos nessa temporada.